A Solidariedade

A Solidariedade


Quem acredita em Deus corre o risco de querer receber tudo Dele, esperando que as coisas caiam do céu. É a expressão máxima das atitudes intimistas, eu e Deus, sem levar em conta que a vida se fundamenta em gestos de dar e receber. A solidariedade significa reconhecer a dependência natural existente entre as pessoas. Na prática da solidariedade está a oportunidade da fraternidade.

No coração de cada pessoa está gravado um sinal de aliança, uma capacidade de doação, de criar laços com outros, como algo de especial. que deve ser valorizado em toda sua extensão. Isso constitui uma grandeza a ponto de definir o perfil de dignidade da pessoa. Daí vem a capacidade de relação com o semelhante, que coloca em evidência a liberdade e o respeito pela identidade do outro.

Uma má convivência retrata a incapacidade para a solidariedade. Quase sempre é falta de compreensão, de não reconhecer que ninguém é dono do mundo, projetando orgulho e grandeza, que são devidas a Deus, o autor e promotor permanente da vida. A falta de solidariedade pode causar morte.

Nesse período de quaresma, de preparação para a Páscoa, o termo “conversão”, mudança de atitudes, deve tocar fundo em nossos corações. Temos capacidade para ser diferentes, para dar passos superando o formato do individualismo. Isto requer renúncias, sacrifícios e até situação de morte para conquistar a vida.

É muito significativa, para entender a solidariedade, a palavra bíblica: “Se o grão de trigo não cai na terra não morre, permanecerá só; mas se morre, produzirá muito fruto” (Jo 12,24). A morte de Cristo na cruz não foi ato masoquista ou fanatismo suicida, mas se apresenta como alguém solidário, pois seu caminho foi todo marcado pela solidariedade e pelo amor.

Uma semente lançada na terra, quando morre, libera a potencialidade e capacidade de vida que ela tem. O crescimento depende de doação. É o que acontece com sementes minúsculas produzindo árvores enormes. Assim, quanto mais partilhamos a vida, muito mais frutos conseguimos colher. A solidariedade gera vida.  


Dom Paulo Mendes Peixoto / Arcebispo de Uberaba

deixe um comentário