Agosto de 2016: Mês da Família

A importância da Família


Sem desconsiderar a importância de tudo o que se comemora durante o mês de agosto, a família desponta como algo que merece mais nossa atenção, seja porque é a base da formação de cada pessoa e da sociedade, seja porque é uma das instituições mais vulneráveis de nosso tempo, sofrendo ataques de toda parte.

A família é o berço de homens e mulheres de bem, que se tornarão os elementos fundamentais para a edificação sólida da Igreja e da Sociedade. Nela se constrói o caminho seguro para se chegar à paz como expressão da vida plena desejada e merecida por todos.

Se a família vai bem, o mundo caminha bem. Se o mundo não está bem é porque a família ainda não tem sido tudo o que pode e deve ser.

A Semana da Família, celebrada todos os anos no mês de agosto coloca diante de nossos olhos uma realidade que diz respeito a todos e pela qual todos devem se responsabilizar. O seu início coincide com o dia dos pais, recordando que a família é uma realidade que parte do humano, ou seja, tem sua origem no encontro e no compromisso de um homem e uma mulher que se enamoram e decidem unir-se para sempre. A conclusão da Semana da Família, entretanto, se dá na Solenidade da Assunção de Nossa Senhora, mostrando que a família como realidade humana precisa ser assumida por Deus para chegar à plenitude de seu significado e de sua missão. Como Maria, a família deve estar em constante processo de subida na direção que o Evangelho indica.

O tema da Semana da Família 2014 é “A espiritualidade cristã na família: um casamento que dá certo” e quer ajudar todos a descobrir que a família só será capaz de enfrentar os desafios que se lhe apresentam na força da espiritualidade cristã, isto é, se cada um de seus membros assumir comprometidamente o jeito de Jesus Cristo passando a ver e a tratar os outros como Ele o faria.

Oferecendo sua contribuição ao crescimento e à transformação das famílias, convoco a todos para uma participação efetiva na Semana da Família a fim de que os seus frutos se verifiquem em cada matrimônio, em cada lar, em toda a Igreja e também na Sociedade.


Parte integrante do texto de
Pe. Edinei Evaldo Batista
Coordenador Diocesano de Pastoral