Caixinha Mágica

Caixinha Mágica


Fabrico uma caixa mágica para guardar o que não cabe em nenhum lugar: a minha sombra em dias de muito sol, o amarelo que sobra do girassol, um suspiro de beija-flor, invisíveis lágrimas de amor.

Fabrico a caixa com vento, palavras e desequilíbrio, e para fechá-Ia com tudo o que leva dentro, basta uma gota de tempo. O que é que você quer esconder na minha caixa? (Roseana Murray) 

Desenvolvimento
Como é bom trabalhar poemas em nossos encontros! Todo poema ou poesia carrega algo de mistério.

Entrar no íntimo de um poema é desvendar palavra por palavra ou, nas frases, algo que toca a vida.

Vamos tentar desvendar o que este poema fala para nós.

1. Distribuir o poema para ser lido de forma individual e, após, todos leem juntos.
2. Imaginar por um instante: Como seria a caixa de minha vida? (Grande, pequena, tão pequena que cabe só um sonho, tão grande quanto o futuro? Como seria uma caixinha só feita de amor?
3. Passar de mão em mão uma caixinha bem bonita. Responder em silêncio as perguntas: Tem algo muito importante na caixa de minha vida. Por que é importante? Há algo que não revelo para ninguém? A quem gostaria de revelar este segredo? Só Deus sabe da existência deste meu segredo. O que gostaria de dizer a Ele?
4. Com a caixinha na mão o animador passará a mesma para alguém dizer uma qualidade de si próprio a quem está oferecendo. E, assim, passando um para o outro, também será dito uma qualidade que guarda dentro de si na caixinha do coração.
5. Desenhar o que representa o poema para cada um. Partilhar as maravilhas que cada um conseguiu decifrar. Escrever uma mensagem para alguém que ama, enviando-lhe a caixinha imaginária.
Ex: Mando a você a minha caixinha imaginária com mil abraços.


Irmã Marlene Bertoldi, iic