Caminhado do CristA?o

Caminhado do CristA?o


Ao falar sobre o termo a�?cristA?oa�?, entendemos uma ligaA�A?o com Cristo. No livro dos Atos dos ApA?stolos encontramos a origem desse termo: a�?Em Antioquia, os discA�pulos foram, pela primeira vez, chamados com o nome de a�?cristA?osa��a�? (At 11,26). Isto ocorreu a partir de uma prA?tica de vida, do seguimento de um caminho proposto por Jesus Cristo e seguido por um grupo de fiA�is.

A vida cristA? tem dimensA?o de eternidade, diferente da vida pA?s-morte. Significa vida reconciliada com Deus, que jA? comeA�a aqui e continua apA?s a morte. A morte faz parte da realidade humana, da condiA�A?o histA?rica, das coisas finitas e limitadas. Para o cristA?o nA?o existe morte como ruptura definitiva com Deus. A uniA?o com Ele nA?o termina na morte, que A� passagem para uma vida plena.

Essa realidade tem que estar em sintonia com a entrega pessoal do cristA?o aos ensinamentos de Jesus Cristo. Significa testemunho autA?ntico de vida, superando as influA?ncias de tudo que desqualifica atitudes de dignidade cristA? e humana. A estrada de Jesus Cristo nA?o A� de vida fA?cil, descomprometida com os ideais da Palavra de Deus. A� fazer o caminho da opA�A?o pelo Reino de Deus.

Parece que as forA�as do mal querem sufragar as do bem. Realmente a pessoa A� influenciada por muito a�?lixoa�? da nova cultura. Mas nA?o pode ficar sufocada por isso a ponto de perder a expectativa de uma vida melhor e feliz. NA?o hA? como fugir da realidade, mas existem forA�as sobrenaturais que fortalecem e estimulam na caminhada. Basta ir ao encontro desses meios.

NA?o A� saudA?vel decidir-se por um caminho de fuga, de descompromisso com a realidade concreta. Mesmo no A?mago do cansaA�o e do desespero, sempre hA? uma luz no fim do tA?nel. A luz da esperanA�a nA?o A� outra coisa a nA?o ser Deus. Por isso, a falta de fA� significa cair no vazio e terminar no nada.

O cristA?o A� um ungido do Senhor, tendo o EspA�rito Santo como selo de Deus em sua vida. Assim acontece com todo pai que encara sua responsabilidade com determinaA�A?o. NA?o basta celebrar o dia dos pais, mas tambA�m tomar consciA?ncia do profundo sentido de ser pai, na geraA�A?o e na educaA�A?o cristA? e cidadA? dos filhos.


Dom Paulo Mendes Peixoto /A�Arcebispo de Uberaba.

deixe um comentário