Celebração da Família

Celebração da Família


Família, expressão do amor misericordioso de Deus

Anim.: Irmãos e irmãs, sejamos todos bem-vindos a este encontro. O amor de Deus se torna visível na família, pois através dela há a manifestação do Deus criador e salvador. O amor fecundo chega a ser o símbolo das realidades íntimas de Deus. (cf. Gn 1,28). Reunidos na força do amor, invocamos a Santíssima Trindade sobre nós: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Canto: 1- Somos gente da esperança/que caminha rumo ao Pai.  Somos povo as Aliança/ que já sabe onde vai.

De mãos dadas a caminho,/ porque juntos somos mais, /pra cantar o novo hino/ de unidade, amor é paz.

2 – Para que o mundo creia/ na justiça e no amor/ formaremos um só, povo,/ num só povo,/ num só Deus, num só pastor.

3 – Todo irmão é convidado/ para a festa em comum:/ celebrar a nova vida/onde todos sejam um.

Anim: O ano da misericórdia é uma oportunidade para, como família e como Igreja, redescobrirmos os ensinamentos que nos vem da Sagrada Escritura, para nortear nossa vida familiar, sentindo a alegria de formar verdadeiras comunidades dos seguidores de Jesus.

Leitor/a 1: A vocação da família nasce na experiência do amor. O Papa Francisco nos diz : “O amor vivido nas famílias é uma força permanente para a vida da Igreja. Neste amor, eles celebram os seus momentos felizes e se ajudam nas passagens difíceis da sua história de vida”(AL 88).

Leitor/a 2: A presença do Senhor habita na família concreta e real, com todos os seus sofrimentos, lutas e alegrias do cotidiano (AL 315).

Todos: Espírito de Amor, acendei no coração de nossas famílias, a chama do amor misericordioso e fortalecei-as na fé e na esperança.

Anim.:  A Palavra de Deus nos desafia a assumir a  vida nova em Cristo, revestidos pelos sentimentos de amor, compaixão e misericórdia. Para acolher a Bíblia e nela ouvir a Palavra cantemos:

/: A vossa palavra, Senhor,/é sinal de interesse por nós:/
– Como um pai ao redor de sua mesa/ revelando seus planos de amor.
– É feliz quem escuta a Palavra/e a guarda em seu coração.

Leitor/a 3 –  Leitura da carta aos Col 3,12-16.
(Minutos de meditação)

Anim.: Vamos continuar refletindo sobre a Palavra que nos ilumina à prática da fé, na vivência familiar.

Lado A: O amor é expressão ativa de misericórdia. A família expressa o amor misericordioso, de Deus em gestos e atitudes de acolhida, serviço, perdão, paciência, confiança mútua.

Todos: Trindade Santa de ternura e bondade, inspira-nos a viver o amor e a misericórdia como família e como Igreja.

Lado B: A bondade, humildade, mansidão, tolerância, paciência e o perdão, segundo Paulo, são as virtudes que expressam a vivência de compaixão e misericórdia.

Todos: Trindade Santa de ternura e bondade, inspira-nos a viver o amor e a misericórdia como família e como Igreja.

Lado A: A experiência de sermos perdoados gratuitamente por Deus nos impulsiona a amar sem limites, a compreender as fraquezas dos outros e a perdoar na gratuidade.

Todos: Trindade Santa de ternura e bondade,   inspira-nos a viver o amor e a misericórdia como família e como Igreja.

Lado B: A espiritualidade do amor familiar é feita de milhares de gestos reais e concretos. Deus tem sua própria habitação na família, na variedade de dons e encontros que se fazem na comunhão dos seus membros.

Todos: Trindade Santa de ternura e bondade, inspira-nos a viver o amor e a misericórdia como família e como Igreja.

Anim: Suplicamos a Maria, mãe de Jesus e nossa, que proteja todas as famílias com o seu manto de mãe.
Acolhamos a imagem da Sagrada Família, cantando: É bom ter uma família.  (1ª. estrofe e refrão)

Anim.: Rezemos em dois lados a oração da Sagrada Família do Papa Francisco: 

Todos: Jesus, Maria e José,
em Vós contemplamos
o esplendor do verdadeiro amor,
confiantes, a Vós nos consagramos.


Lado A:
Sagrada Família de Nazaré,
tornai também as nossas famílias
lugares de comunhão e cenáculos de oração,
autênticas escolas do Evangelho
e pequenas igrejas domésticas.

Lado B:
Sagrada Família de Nazaré,
que nunca mais haja nas famílias
episódios de violência, de fechamento e divisão;
e quem tiver sido ferido ou escandalizado
seja rapidamente consolado e curado.

Lado A: Sagrada Família de Nazaré,
fazei que todos nos tornemos conscientes
do carácter sagrado e inviolável da família,
da sua beleza no projeto de Deus.


Todos: Jesus, Maria e José,
ouvi-nos e acolhei a nossa súplica.  Amém.
Canto Final: É BOM TER UMA FAMÍLIA
(Pe. Antônio Maria – balada – Fá)

.:.
misericórdia
Misericórdia na família: dom e missão

.:.

  1. É no campo da vida que se esconde um tesouro./ Vale mais que o ouro, mais que a prata que brilha./ É presente de Deus, é o céu já aqui,/ o amor mora ali e se chama família.

/:“Como é bom ter a minha família, como é bom!/ Vale a pena vender tudo o mais para poder comprar./ Esse campo que esconde um tesouro, que é puro dom,/ é meu ouro, meu céu, minha paz, minha vida, meu lar.”:/

  1. Até mesmo o céu desejou ser família/ para que a família desejasse ser céu./ Nela se faz a paz no ouvir, no falar,/ e na arte de amar, o amargor vira mel.

     3. Na família a mentira não se dá com a verdade,/ e a fidelidade sabe o peso da cruz,/ porque lá há amor, há renúncia e perdão,/ há também oração e o chefe é Jesus.

     4. Surgem falsos brilhantes enganando a família,/ tão sutil armadilha de um doce sabor./ A riqueza maior é de Deus a presença,/ na saúde ou doença, na alegria e na dor.


Equipe da Catequese de Florianópolis