Envolvidos no amor de Deus

Envolvidos no amor de Deus
Vivência Mistagógica do Natal


Ambiente: cadeiras em círculo. Música de natal, instrumental, em tom suave. No centro, panos coloridos e sobre eles uma manjedoura (ou almofada) com a imagem do menino Jesus. Ambão ou mesa da Palavra com Bíblia e uma vela acesa. Faixas de tecido branco para todos. Cópia da celebração para todos.

1. Refrão meditativo: O tempo vai passando sutilmente/ De repente a gente lembra que o Natal já vai chegar/ É preciso parar, é preciso lembrar/ Que Cristo veio para nos salvar. (bis)

2. Acolhida espontânea do(a) dirigente da vivência. (Convite a refletir sobre quais os sentimentos ou situações que nos envolveram ao longo do ano.

3. Sentido antropológico do sinal: o(a) dirigente da celebração motiva os(as) presentes para que contemplem a faixa de tecido e, espontaneamente, falem sobre o significado comum, para o dia a dia da nossa vida (limpar, vestir, queimar, servir, enfeitar, sufocar, etc.).

4. Escutando a Palavra: Lc 2,1-12 (A leitura seja feita a partir da Bíblia, colocada próxima à imagem do menino Jesus. Os(as) presentes ouvem, atentos, a proclamação).

Canto de escuta: Envia tua Palavra, Palavra de salvação, que vem trazer esperança, aos pobres libertação.

Texto (Lc 2,1-12): Naqueles dias, apareceu um edito de César Augusto, ordenando o recenseamento de todo o mundo habitado. Esse recenseamento foi o primeiro enquanto Quirino era o governador da Síria. E todos iam se alistar, cada um na própria cidade. Também José subiu da cidade de Nazaré, na Galileia, para a Judeia, à cidade de Davi, chamada Belém, por ser da casa e da família de Davi, para se inscrever com Maria, desposada com ele, que estava grávida. Enquanto lá estavam, completaram-se os dias para o parto, e ela deu à luz seu filho primogênito, envolveu-o com faixas e reclinou-o numa manjedoura, porque não havia um lugar para eles na sala. Na mesma região havia uns pastores que estavam nos campos e que durante as vigílias da noite montavam guarda a seu rebanho. O Anjo do Senhor apareceu-lhes e a glória do Senhor envolveu-os de luz; e ficaram tomados de grande temor. O Anjo, porém, disse-lhes: “Não temais! Eis que vos anuncio uma grande alegria, que será para todo o povo: Nasceu-vos hoje um Salvador, que é o Cristo-Senhor, na cidade de Davi. Isto vos servirá de sinal: encontrareis um recém nascido envolto em faixas deitado numa manjedoura”.

Pistas para reflexão: O Texto C, bastante conhecido, ilustra a passagem do nascimento do menino e destaca o sinal de Deus para o mundo: uma criança envolvida em faixas.

“O Natal nos lembra que a presença de Deus nem sempre corresponde às nossas expectativas, porque Ele se nos apresenta do modo que menos esperamos…Agora sabemos que podemos encontra-lo em qualquer ser indefeso e fraco que precisa da nossa acolhida. Ele pode estar nas lágrimas de uma criança ou na solidão de um ancião. No rosto de qualquer irmão podemos descobrir a presença desse Deus que quis encarnar-se no humano.” (José Antonio Pagola).

Como imaginar Deus envolto em faixas?

5. Sentido revelado: Texto catequético Dos Sermões de São Bernardo, abade, séc XII

Apareceu a bondade e a humanidade de Deus, nosso Salvador (cf. Tt 3,4). Demos graças a Deus que nos dá tão abundante consolação neste exílio, nesta peregrinação, nesta vida tão miserável.

Veio na carne para se revelar aos que eram de carne, de modo que, ao aparecer sua humanidade, sua bondade fosse reconhecida. Com efeito, depois que Deus manifestou sua humanidade, sua bondade já não podia ficar oculta. Como poderia expressar melhor sua bondade senão assumindo minha carne? Foi precisamente a minha carne que ele assumiu, e não a de Adão, tal como era antes do pecado.

Poderá haver prova mais eloquente de sua misericórdia do que assumir nossa miséria? Poderá haver maior prova de amor do que o Verbo de Deus se tornar como a erva do campo por nossa causa? Senhor, que é o homem, para dele assim vos lembrardes e o tratardes com tanto carinho? (Sl 8,5). Por isso, compreenda o homem até que ponto Deus cuida dele; reconheça bem o que Deus pensa e sente a seu respeito. Não perguntes, ó homem, por que sofres, mas por que ele sofreu por ti. Vendo tudo o que fez em teu favor, considera o quanto ele te estima, e assim compreenderás a sua bondade através da sua humanidade. Quanto menor se tornou em sua humanidade, tanto maior se revelou em sua bondade; quanto mais se humilhou por mim, tanto mais digno é agora do meu amor. Diz o Apóstolo: Apareceu a bondade e a humanidade de Deus, nosso Salvador. Na verdade, como é grande e manifesta a bondade de Deus! E dá-nos uma grande prova de bondade Aquele que quis associar à humanidade o nome de Deus.

Reflexão: O que chamou atenção no texto bíblico? O que destacar do texto catequético de São Bernardo?

Momento orante: o(a) dirigente da celebração motiva o momento orante a partir da contemplação da faixa de tecido que os participantes têm consigo. Os presentes são convidados a rezar, em voz alta ou na intimidade do coração, alguma realidade de sua vida, enquanto fazem o gesto de envolver a imagem do menino Jesus por meio do tecido que têm nas mãos.

(Ex.: desejo de paz nas famílias e no mundo; gratidão pelo dom da vida; pedido de perdão pela falta de fé, etc.).

Concluir o momento orante cantando:

Natal é vida que nasce, Natal é Cristo que vem. Nós somos o seu presépio e a nossa casa é Belém.

Oração conclusiva: Ó Deus, que admiravelmente criastes o ser humano e mais admiravelmente restabelecestes a sua dignidade, dai-nos participar da divindade do vosso Filho, que se dignou assumir a nossa humanidade. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.

Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo.

Para sempre seja louvado!