Narração de Histórias

Narração de Histórias


A narração de pequenas histórias é uma forma viva de fazer catequese.

Jesus usou uma criatividade imensa para atrair a atenção de seus ouvintes. Usou as parábolas que são pequenas histórias simbólicas, que retratam realidades humanas. A finalidade era colocar os ouvintes numa posição de confronto com a sua prática de vida, provocando, através destas, conversão e mudança de vida.

As histórias servem para qualquer idade. Elas podem ser apresentadas em forma de teatro, dramatização, mímica, desenhos, fantoches…

 

A Ponte

Era uma vez uma ponte amiga de todas as pessoas. Fazia o bem a todos. Pessoas boas e pessoas más passavam por ela sem precisar enfrentar as águas do rio. Um dia, porém, quando a ponte já era velhinha, bem velhinha, as águas levaram-na consigo. Na manhã seguinte, quando as pessoas queriam passar por ela, já não existia mais. As pessoas procuraram alguma coisa que lhes desse passagem. Finalmente um velhinho, muito alegre, disse assim: Aquela ponte nunca negou favor a ninguém. Sempre estava pronta para todos. Agora chegou a nossa vez. Vamos nos dar as mãos e ajudar uns aos outros a atravessar o rio.

Naquele dia as pessoas aprenderam a lição da ponte: estar prontos para ajudar a todos.

Esquema de trabalho:

  1. Ler e comentar a história.
  2. Comentá-la de forma participativa, através de perguntas, questionamentos.
  3. Opinar sobre o seu conteúdo principal. (Idéias principais que ajudam a pensar, refletir, confrontar e provocar uma mudança)
  4. Anotar as ideias principais.
  5. Discutir o modo de apresentar (dramatizada, com palavras, símbolos, desenhos, mímica, gestos…)
  6. Cada participante deve sentir-se à vontade para assumir um personagem e representá-lo.
  7. Importante é provocar a participação de todos (atores, figurantes…).
  8. Após a apresentação, provocar uma discussão e fazer um confronto com atitudes, comportamentos, valores vividos na história e na vida do dia-a-dia.
  9. Trazer presente alguma iluminação com a Palavra de Deus ou algum documento da Igreja.
  10. Avaliar o processo, a experiência vivida, a contribuição no crescimento.

deixe um comentário