Nossa Mão Fala de Fé

Nossa Mão Fala de Fé


a) Entendendo a transmissão da fé

A Igreja é depositária dos ensinamentos e da fé em Jesus Cristo. A fé em Cristo vem dos apóstolos e que a transmitiram a partir de uma comunidade. A fé necessita ser desenvolvida, mas constantemente nutrida. É na Igreja-comunidade que fazemos a experiência da fé.

No Primeiro Testamento, a fé no Deus único, era transmitida de geração em geração. “O que nós ouvimos e aprendemos, o que nos contaram nossos pais, não o esconderemos aos filhos deles, nós o contaremos à geração futura”(Sl 78, 3-4).

No Segundo Testamento temos inúmeras citações onde a fé passa pela transmissão. Vejamos a atitude do apóstolo. Pedro transmite ao coxo a sua fé convincente em Jesus Cristo. “Não tenho ouro nem prata, mas o que tenho te dou: em nome de Jesus Cristo , levante-se e comece a andar”(At 3,6). Paulo pergunta aos romanos: Como poderão ouvir, se não houver quem o anuncie?” “A fé depende, portanto, da pregação e a pregação é o anúncio da palavra de Cristo” (Rm 10, 14.17). Quando Paulo escreve para os Efésios faz um grande elogio pela fé firme e convicta vivida em comunidade: “Fiquei sabendo da fé que vocês têm em nosso Senhor Jesus e do amor para com todos os cristãos”( Ef 1,15).

Sempre a Igreja se preocupou com uma verdadeira transmissão da fé. Questiona-se: O modo de transmitir a fé, hoje, garante aos cristãos no futuro, uma verdadeira vivência no que foi recebido?

O Papa Paulo VI já dizia em 1975 na Encíclica Evangelli Nunciandi que o mundo de hoje acredita nas testemunhas, isto é, a prática da fé em atitudes falam mais alto do que muitas palavras.

b) Vamos olhar através de uma pequena dinâmica como nós recebemos a fé e como hoje, nós a transmitimos.

Esta dinâmica pode ser feita com pais, catequistas, lideranças.

1) Desenhar uma das mãos sobre uma folha A4.

2) Completar o que é pedido escrevendo na mão:

– Escrever em todos os dedos nomes de pessoas que nos transmitiram a fé. Podem colocar nomes de pessoas que testemunharam sua fé, desde a nossa infância.

– Escrever nos entrededos: Com que estas pessoas transmitiram sua fé a nós? Como vimos que estas pessoas viviam a fé? Ex: oração

– Nas pontas dos dedos escrever: Com que nós hoje, mantemos a nossa fé? Ex: Leitura e reflexão da Palavra de Deus.

– Escrever na palma da mão: Quem sustenta a nossa fé?

– Após a escrita, compartilhar de dois a dois: Que semelhanças e diferenças enriquecem a nossa fé?

– Fazer também, uma partilha no grande grupo, explorando cada pergunta feita.

– Em seguida, colocar-se de dois a dois e mutuamente, estendendo as mãos abençoar-se pela graça da fé concedida por Deus, através da Igreja. Necessitamos entender que a fé que nos foi transmitida, foi vivida e testemunhada por alguém que marcou a nossa vida.


Irmã Marlene Bertoldi

deixe um comentário