O Rosto da MisericA?rdia

O Rosto da MisericA?rdia


O papa Francisco convocou um Jubileu ExtraordinA?rio, a iniciar em 8 de dezembro de 2015, festa da Imaculada ConceiA�A?o de Maria: o Jubileu da MisericA?rdia. Num pontificado marcado pela solicitude do papa com situaA�A�es de extrema violA?ncia, como as guerras espalhadas pelo mundo, o martA�rio de cristA?os, as complicadas migraA�A�es da A?frica para a Europa, a escolha da MisericA?rdia para um Jubileu temA?tico estA? na sequA?ncia de atitudes que revelam a necessidade de o mundo se voltar para as periferias existenciais e tomar atitudes que revelem a face bondosa de Deus em favor dos necessitados, que sA?o todos os seres humanos, especialmente os mais sofredores (cf. n. 15). SerA? tambA�m oportunidade de celebrar festivamente os 50 anos do encerramento do ConcA�lio Vaticano II, que abriu as portas da Igreja para o diA?logo com o mundo moderno. Na sua bula, o papa lembra um pensamento do beato Paulo VI, papa que encerrou o ConcA�lio, dizendo que a�?a religiA?o de nosso ConcA�lio foi, antes de mais, a caridadea�?. A caridade deve ser marca da Igreja atual, e a misericA?rdia A� a aA�A?o da caridade: Deus nos ama e quer que amemos a nA?s mesmos, aos irmA?os e ao planeta.

Para a convocaA�A?o do Jubileu da MisericA?rdia, o papa escreveu uma Bula, a Misericordiae Vultus, O Rosto da MisericA?rdia. Esta carta, alA�m de convocar o Jubileu, descreve a misericA?rdia de Deus, manifestada de modo maior em Jesus Cristo, verdadeiro rosto da misericA?rdia. Francisco diz que a�?em todas as circunstA?ncias, o que movia Jesus era apenas a misericA?rdiaa�? (n. 8). Todas as palavras e gestos de Cristo sA?o expressA?o do amor de Deus por cada um de seus filhos: um amor personalizado, que quer atingir cada pessoa de maneira A?nica, alcanA�ar suas necessidades, curar as feridas, restaurar a integridade. A� um amor que brota da intimidade de Deus, de suas entranhas. Como uma mA?e, e atA� mais que uma mA?e, Deus nA?o se esquece de nenhum de seus filhos e os espera como o pai que faz festa quando o vA? retornar para casa (cf. Lc 15) (cf. n. 6).

A misericA?rdia de Deus nA?o A� abstrata, mas A� sentida viva por cada um que se encontra com Jesus. O encontro pessoal com Cristo muda a vida da pessoa e a torna discA�pula. A� como o encontro de Jesus com cada um dos discA�pulos: Jesus passa, olha especialmente para nA?s e nos chama. O papa lembra a escolha de seu lema: a�?Com misericA?rdia o escolheua�?, um comentA?rio de SA?o Beda ao chamado de SA?o Mateus. O olhar de Jesus atinge a todos, tambA�m o publicano e cobrador de impostos, e A� capaz de transformar sua vida completamente.

O Jubileu da MisericA?rdia A� oportunidade A�mpar para rever as atitudes que nA?o condizem com a vontade de Deus. De modo particular, o papa fala de retomar a importA?ncia do perdA?o, que vai rareando cada vez mais em nossa cultura. a�?Chegou de novo, para a Igreja, o tempo de assumir o anA?ncio jubiloso do perdA?oa�? (n. 10). Vivemos num mundo de competiA�A?o e individualismo: o convite cristA?o A� o da vida fraterna e da comunidade. Como anda o testemunho das comunidades de fA�, que devem ser locais privilegiados de acolhida, sinal de Deus que acolhe a todos?

O ano jubilar terA? como A�cone a figura do bom pastor, que nA?o cessa de procurar as ovelhas perdidas, enfaixA?-las, curA?-las (cf. Jo 10). Jesus A� misericordioso como o Pai e convida seus seguidores a serem tambA�m misericordiosos. Esse serA? o lema do Jubileu da MisericA?rdia: Misericordiosos como o Pai (Lc 6,36). Deus A� benevolente para com os justos e os pecadores. A salvaA�A?o manifestada em Jesus A� para todos os que a acolhem e se sentem atingidos pela misericA?rdia de Deus. Numa das bem-aventuranA�as do SermA?o da Montanha (Mt 5), Jesus declara felizes os misericordiosos, e lhes promete que alcanA�arA?o misericA?rdia. Essa bem aventuranA�a serA? tambA�m o lema da Jornada Mundial da Juventude de 2016, na PolA?nia.

Um dos sA�mbolos fortes do Jubileu serA? a Porta Santa. Este A� um sA�mbolo dos anos santos. Jesus, no Evangelho de JoA?o, diz a�?Eu sou a portaa�?, pela qual as ovelhas podem entrar e sair com seguranA�a. No ano jubilar da misericA?rdia, as igrejas principais de Roma, as catedrais e os santuA?rios espalhadas pelo mundo abrirA?o uma porta da misericA?rdia, significando que a bondade de Deus estA? aberta de modo particular durante este ano. SerA? um tempo favorA?vel para peregrinar atA� as catedrais e santuA?rios, como sinal da caminhada do ser humano atA� Deus, bem como para buscar o sacramento da ReconciliaA�A?o e a indulgA?ncia plenA?ria (o perdA?o das culpas devidas pelos pecados, sinal de Deus que perdoa o ser humano por inteiro). O papa ainda pede gestos concretos, a realizaA�A?o das obras de misericA?rdia corporais e espirituais:A�

A� A� A� A� A� A� A� A�OBRAS CORPORAIS

Dar de comer a quem tem fome;

Dar de beber a quem te sede;

Vestir os nus;

Dar pousada aos peregrinos;

Ajudar os enfermos;

Visitar os presos;

Sepultar os mortos.

 

OBRAS ESPIRITUAIS

Dar bom conselho;

Ensinar os ignorantes;

Corrigir os que erram;

Consolar os aflitos;

Perdoar as injA?rias;

Sofrer com paciA?ncia as fraquezas do nosso prA?ximo;

Rogar a Deus pelos vivos e defuntos.

 

AA� estA? uma excelente proposta de aA�A?o para a catequese durante todo o ano de 2016. AA�A�es prA?ticas que permitirA?o fazer a experiA?ncia da Igreja a�?em saA�daa�?. A catequese, que deve unir fA� e vida, poderA? motivar catequizandos e famA�lias para gestos concretos de misericA?rdia, que marcarA?o tanto a vida daqueles que os realizam quanto a dos que recebem alguma ajuda.

a�?Que a palavra do perdA?o possa chegar a todos e a chamada para experimentar a misericA?rdia nA?o deixe ninguA�m indiferentea�? (n. 19).


Paulo Stippe Schmitt

deixe um comentário