Planejamento 2016

título-Panejamento


O que levar em conta no Planejamento 2016: Para melhor desenvolver um caminho de Iniciação à Vida Cristã faz-se necessário um planejamento adequado que corresponda ao que queremos alcançar: “crescer de forma gradual e permanente no amor e no seguimento de Jesus Cristo, forjando uma identidade cristã que dê sentido à vida” (cf. DAp 291).
O próprio Jesus nos alerta para isso: “De fato, quem de vocês, querendo construir uma torre, primeiro não se senta para calcular os gastos e ver se tem o suficiente para terminar?” (Lc 14, 28).
Quando Jesus nos diz “primeiro se senta para calcular”, isso significa que temos um conhecimento suficiente da realidade para poder identificar estratégias onde vivemos e, edificar o que nos propomos: a catequese na evangelização.


Fevereiro e Março de 2016

1) Tempo de fazer as “inscrições” das crianças que iniciarão o novo processo.

Portanto, apresentar aos pais as datas em que as inscrições serão realizadas.

2) Como proceder às inscrições?

a – Envolver os catequistas e lideranças da comunidade para atender os familiares e/ou responsáveis.
b – Preencher a ficha encaminhada pela coordenação (Observar, como exemplo, aquela enviada pela coordenação arquidiocesana).
c – Esta ficha permitirá saber quantos catequizandos vão iniciar o processo e conhecer os familiares envolvidos.
d – Providenciar e entregar no ato da inscrição um cronograma dos 6 encontros (2 em abril, 2 em maio, 2 em junho) a serem realizados com os familiares e/ou responsáveis. É importante que a paróquia apresente alternativas dos encontros, de maneira que possa atender a todos, incluindo os que, porventura, não puderem comparecer nas datas previstas.
e – Lembramos que no primeiro final de semana do mês de julho está previsto para ser realizada a Celebração da Acolhida em toda a Arquidiocese.

3) Quanto à formação dos catequistas:

a – É necessário prever, em março, datas que favoreçam a formação de todos os catequistas e demais lideranças interessadas em fazer uma f experiência na aplicação do projeto de Iniciação à Vida Cristã.

b – Pode-se utilizar os encontros com as crianças, que estão sendo elaborados, e as celebrações dos pais para o entendimento de como aplicá-Ias.

c – E ainda, guiar-se pelo texto Metodologia catequética para entender o processo, isto é, o jeito novo de desenvolver os encontros catequéticos.
d – Todos os catequistas terão em suas mãos uma explicação, passo a passo, de um encontro de catequese.
e – As formações para os catequistas não se limitam ao mês de março. Estes encontros devem ser pensados como planejamento em vista do Itinerário de Iniciação à Vida Cristã.

Ao longo do ano, as coordenações paroquiais sejam criativas a ponto de proporcionar outros momentos formativos: retiros, encontros, formações, etc.
f – Lembramos que a Escola Catequética de Multiplicadores continuará, ressaltando os conteúdos da Iniciação à Vida Cristã.
g – Fazer o uso das Cartas Eixo Teológico-Catequético, abordando a Iniciação à Vida Cristã. Abril de 2016

Abril de 2016

a – Prever o número de turmas, tendo por referência um grupo de 10 catequizandos no máximo, para cada catequista.
b – Organizadas as turmas, tantas quantas foram necessárias, contatar os pais e/ou responsáveis para que participem da primeira. formação e celebração.

c – Após a primeira celebração, identificar quem faltou; fazer o contato o mais breve possível e indicar as alternativas para que a família não fique sem a formação adequada de acompanhamento do(a) filho(a) na fé.
d – É necessário que, antes do segundo encontro do mês de abril, todos os pais elou responsáveis tenham participado do primeiro encontro.
Atenção: Os encontros possuem sequência formativa, por isso, sejam oferecidas oportunidades de diálogo e convite para que nenhuma família fique privada de participação.
e – Realizar o segundo encontro do mês de abril com os pais e/ou responsáveis.
f – Os encontros com os pais e/ou responsáveis sejam bem preparados com um ambiente adequado (orante), participativos, alegres e, de preferência, com um momento de partilha e de confraternização.

g – Para estes encontros, convidar e envolver as lideranças da comunidade: músicos, liturgistas, animadores, agentes da Pastoral Familiar e similares e tantas outras pessoas disponíveis. Tudo isso para dar visibilidade que vivemos em comunidade e o processo de Iniciação à Vida Cristã depende deste modo de ser.
h – Em todo o percurso dos encontros com os pais e/ou responsáveis, criar um espírito de fraternidade, onde se estabeleçam laços de afetividade e desejo de participação, despertando a perseverança e a persistência no seguimento de Jesus Cristo.

i – Ao final do segundo encontro, provocar uma pequena avaliação com os participantes, tendo em vista a continuidade do processo.

Maio de 2016

a – Desenvolver os dois encontros previstos. Levar em conta, as alternativas de outras datas para que as famílias não deixem de participar.

Junho de 2016

a – Continuar com os encontros com os pais e/ou responsáveis, levando em conta os laços de amizade que estão sendo criados.
b – Considerar que a continuidade do projeto, a partir de julho, depende da responsabilidade que os familiares despertaram com a ajuda das celebrações.

Julho de 2016 

a – No primeiro final de semana de julho as famílias, juntamente com os catequizandos, se encontrarão para a Festa da Acolhida.
b – Os catequistas sejam criativos para proporcionar um momento celebrativo e de confraternização, quando as crianças serão finalmente apresentadas.
c – Lembrar que, em todas as paróquias essa é uma caminhada conjunta. E tantas outras comunidades estarão celebrando o mesmo processo de Iniciação à Vida Cristã.

Agosto e Setembro de 2016

a – Iniciam os encontros com os catequizandos, entendendo que é o 1° Tempo, o tempo do Anúncio de Jesus Cristo. Isto é, estaremos construindo o alicerce da casa da fé e da comunidade.
b – Estes encontros precisam ter um caráter de encantamento por Jesus Cristo.
c – Ao final dos encontros do Primeiro Tempo, toda a comunidade será reunida para o Rito de Admissão, através da entrega do símbolo da Cruz.

Outubro, Novembro e Dezembro de 2016

a – Início do 2° Tempo, o tempo da Catequese, que se estenderá ao longo de todo o ano de 2017. Será o tempo de construir as paredes da casa da fé e da comunidade.
b – Ao final dos encontros sobre a Bíblia, toda a comunidade será reunida para a celebração de entrega e da Festa da Palavra.
c – Seguem-se os demais encontros até a segunda semana de dezembro. Na ocasião, haverá a celebração da entrega do menino Jesus.
Aceitamos e nos comprometemos ao convite do Mestre: “Vinde e vede!” (cf. Jo 1, 39) 


Coordenação da Arquidiocese de Animação Bíblico-Catequética / marlene@arquifln.org.br